ūüĎČ 'Best of Painters.Paintings - 2017' ūüĎą Ren√© Magritte (1898

ūüĎČ 'Best of Painters.Paintings - 2017' ūüĎą Ren√© Magritte (1898

22/12/2021 09:11:15
ūüĎČ 'Best of Painters.Paintings - 2017' ūüĎą Ren√© Magritte (1898 1967: The Blank Signature, 1965, √≥leo sobre tela, 81,3 x 65,1 cm (32 x 25 5/8 pol.), Galeria Nacional de Arte, Washington, DC. √Ä primeira vista, 'The Blank Signature', de Magritte, parece uma pintura comum de uma mulher montada a cavalo, cavalgando por uma floresta. No entanto, ao olhar mais de perto para a pintura, voc√™ percebe que algo n√£o est√° certo. A mulher e o cavalo est√£o incrivelmente entrela√ßados com a floresta. A pintura viola a lei da oclus√£o: objetos mais pr√≥ximos devem cobrir visualmente os objetos posicionados atr√°s deles. Na pintura, a mulher no cavalo deve ser oclu√≠da pela √°rvore √† sua frente. No entanto, vemos sua imagem na frente da √°rvore. Observe a √°rvore que cobre o bra√ßo direito da mulher. parece estar na frente dela ainda se voc√™ olhar para a base da √°rvore, voc√™ ver√° que ela est√° √† dist√Ęncia em rela√ß√£o √†s outras √°rvores. A √°rvore est√° √† dist√Ęncia ou em primeiro plano? Observe tamb√©m a lacuna nas √°rvores no ombro direito do cavalo. Essa √© uma lacuna, mas Magritte trata o espa√ßo vazio como um objeto e o move para o primeiro plano. A princ√≠pio, poder√≠amos dizer que Magritte est√° apenas entrela√ßando a mulher / cavalo e as √°rvores, mas a "lacuna de primeiro plano" d√° um giro surreal ainda maior √† pintura. O que significa quando o espa√ßo vazio pode ser tratado como um objeto ?! √Č "nada" alguma coisa? Tudo se resume √† percep√ß√£o. Esta pintura ilustra como a mente constr√≥i a impossibilidade. Ele re√ļne os elementos separados em um todo "coerente" dessas partes. O cavalo √© ent√£o dividido ao meio por um peda√ßo de grama ao fundo. Al√©m disso, um dos troncos da √°rvore est√° na frente do cavalo, mas sua base est√° atr√°s do cavalo. Certamente parece que esses elementos s√£o inconsistentes com nossa concep√ß√£o de um cavaleiro em uma floresta. O que chama a aten√ß√£o do observador aqui √© a reconstitui√ß√£o sutil do que est√° ocorrendo na pintura. O assunto ilustra bem a preocupa√ß√£o de Ren√© Magritte com as rela√ß√Ķes entre o mundo vis√≠vel e o invis√≠vel.

Postagens relacionadas